Perfil do estilo de vida dos funcionários de uma universidade do oeste catarinense

  • Deonilde balduino Universidade do Oeste de Santa Catariana - UNOESC Xanxerê
  • Luiz Henrique Merlin
  • Mateus Augusto Bim Universidade do Oeste de Santa Catariana - UNOESC Xanxerê http://orcid.org/0000-0002-4064-1975
  • Jean Carlos Parmigiani De Marco Universidade do Oeste de Santa Catariana - UNOESC Xanxerê
  • Sandro Claro Pedrozo Universidade do Oeste de Santa Catariana - UNOESC Xanxerê http://orcid.org/0000-0002-5068-8515
Palavras-chave: Estilo de vida, Universidade, Funcionários, Professores

Resumo

O objetivo deste estudo foi identificar o perfil do estilo de vida de funcionários de uma universidade do Oeste catarinense. Para realizar o estudo foi utilizado o questionário Perfil do Estilo de Vida Individual, encaminhado para os funcionários da universidade via e-mail. Participaram do estudo 113 funcionários (70 do sexo feminino) com idades entre 20 e 67 anos. As análises estatísticas foram realizadas no software IBM SPSS Statistics utilizando a estatística descritiva (média, desvio padrão e frequências) e inferencial. Foi empregado o teste de normalidade Kolmogorov-Smirnov para verificar a distribuição dos dados, o teste U de Mann-Whitney para verificar possíveis diferenças entre os sexos e o tamanho do efeito (r). Foram encontradas diferenças entre os sexos nos componentes nutrição (p<0,001; r=-0,34) e comportamento preventivo (p=0,027; r=-0,21) e no estilo de vida geral (p=0,028; r=-0,21) com maiores médias no sexo feminino. Quanto às respostas em cada componente do estilo de vida as maiores prevalências foram nos índices positivo e regular. Os componentes que apresentaram as maiores prevalências de índice negativo foram nutrição (29,7% dos homens), atividade física (25,6% dos homens e 12,9% das mulheres) e stress (11,6% dos homens e 11,4% das mulheres). No geral o estilo de vida teve predominância de índice positivo (masculino: 65,1%; feminino 78,6%) seguido de índice regular (masculino: 32,6%; feminino: 21,4%). Portanto, constatou-se que o estilo de vida dos funcionários é saudável, no entanto deve-se ter certa atenção com os componentes nutrição e atividade física para que a qualidade de vida dos funcionários possa melhorar ainda mais.

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE QUALIDADE DE VIDA. Ambientes de trabalho saudáveis. [S. l.: s. n.], 2012. Disponível em: http://www.abqv.com.br/artigos/Content.aspx?id=253. Acesso em: 02 abr. 2017.

ASSUMPÇÃO, D. de et al. Diferenças entre homens e mulheres na qualidade da dieta: estudo de base populacional em Campinas, São Paulo. Ciência & Saúde Coletiva, v. 22, p. 347-358, 2017.

BISUTTI, F. et al. Perfil do estilo de vida de praticantes de musculação da academia universitária da Universidade do Oeste de Santa Catarina. Lecturas educación física y deportes. Buenos Aires, ano 18, n. 179, abr. 2013. Disponível em: http://www.efdeportes.com/efd179/musculacao-da-academia-universitaria.htm. Acesso em: 20 mar. 2017.

BRITO, A. M. M.; CAMARGO, B. V. Representações sociais, crenças e comportamentos de saúde: um estudo comparativo entre homens e mulheres. Temas em psicologia, v. 19, n. 1, p. 283-303, 2011.

CARDOSO, B. L. C. et al. Estilo de vida e nível de atividade física em docentes universitários. Unimontes Científica, v. 18, n. 1, p. 15-23, 2016.

CARMONA, C. G. H.; MELO, N. A. Comunicacion interpersonal: Programa de Entrenamiento en Habilidades Sociales. Santiago, Chile: Ediciones Universidad Católica de Chile, 2000.

FERNANDES, M. H. et al. Estilo de vida de professores universitários: uma estratégia para a promoção da saúde do trabalhador. Revista Brasileira em Promoção da saúde, v. 22, n. 2, 2009.

FIELD, A. Descobrindo a estatística usando o SPSS-2. Porto Alegre: Bookman Editora, 2009.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010

GUISELINI, M. A. Aptidão física, saúde e bem-estar: fundamentos teóricos e exercícios práticos. São Paulo: Phorte Editora, 2006.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. VIGITEL Brasil 2016: Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico Brasília: MS; 2017

MOREIRA, M. M. et al. Impacto da inatividade física nos custos de internações hospitalares para doenças crônicas no Sistema Único de Saúde. Arquivos de Ciências do Esporte, v. 5, n. 1, 2017.

NAHAS, M. V. Atividade física, saúde e qualidade de vida: Conceitos e sugestões para um estilo de vida ativo. 6. ed. Londrina: Midiograf, 2013.

NAHAS, M. V.; BARROS, M. V. G.; FRANCALACCI, V. O pentáculo do bem-estar-base conceitual para avaliação do estilo de vida de indivíduos ou grupos. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, v. 5, n. 2, p. 48-59, 2000.

NUNOMURA, M.; TEIXEIRA, L. A. C.; FERNANDES, M. R. C. Nível de estresse em adultos após 12 meses de prática regular de atividade física. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, v. 3, n. 3, 2009.

OGATA, A. et al. Profissionais saudáveis, empresas produtivas: como promover um estilo de vida saudável no ambiente de trabalho e criar oportunidades para trabalhadores e empresas. Rio de Janeiro: Elsevier, SESI, 2012

PASA, P. Os benefícios na saúde com atividades físicas: uma revisão literária.

Biodiversidade, v. 16, n. 1, 2017.

POLICENO, A. C.; PAGLIARI, P.; ZAWADZKI, P. Perfil do estilo de vida dos funcionários da UNOESC-Chapecó. Biosaúde, v. 15, n. 2, p. 44-54, 2013.

SADIR, M. A.; BIGNOTTO, M. M.; LIPP, M. E. N. Stress e qualidade de vida: influência de algumas variáveis pessoais. Paideia, v. 20, n. 45, 2010.

SAMULSKI, D. M.; NOCE, F. A importância da atividade física para a saúde e qualidade de vida: um estudo entre professores, alunos e funcionários da UFMG. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, v. 5, n. 1, p. 5-21, 2000.

SOUZA, M. de C.; GUIMARÃES, A. C. de A.; ARAUJO, C. da C. R. de. Estresse no trabalho em professores universitários. Revista de Atenção à Saúde (antiga Rev. Bras. Ciên. Saúde), v. 11, n. 35, 2013.

STEFANO, S. R.; BONANATO, F. M.; RAIFUR, L. Estresse em funcionários de uma instituição de ensino superior: Diferenças entre gênero. Revista Economia & Gestão, v. 13, n. 31, p. 73-92, 2013.

STRIEDER, R. Diretrizes para elaboração de projetos de pesquisa. Joaçaba: Ed. Unoesc, 2009.

Publicado
28-05-2019
Como Citar
balduino, D., Merlin, L. H., Bim, M. A., De Marco, J. C. P., & Pedrozo, S. C. (2019). Perfil do estilo de vida dos funcionários de uma universidade do oeste catarinense. Unoesc & Ciência - ACBS, 10(1), 75-84. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acbs/article/view/20064