Prevalência de enteroparasitoses em amostras de agrião comercializadas no extremo-oeste de Santa Catarina

  • Diana Paula Ceconi
  • Eduardo Ottobelli Chielle UNOESC
  • Tiago Mateus Andrade Vidigal
Palavras-chave: Parasitologia, Plantio, Contaminação, Água, Saneamento

Resumo

Vegetais consumidos crus como o agrião podem servir de veículo para contaminação por parasitas intestinais, uma vez que estes estão presentes nas fezes de humanos e animais e podem contaminar o solo utilizado no plantio desses vegetais e a água utilizada na irrigação. Este trabalho teve como objetivo avaliar a possível contaminação por parasitas intestinais em amostras de agrião comercializado em cinco municípios pertencentes à região Extremo-Oeste catarinense. Foram analisadas quatro amostras provenientes de cada um dos cinco municípios pertencente a essa região. As amostras foram adquiridas aleatoriamente em distintos supermercados, sendo preparadas conforme a técnica de sedimentação espontânea de Hoffman (1934) com modificações. Após o período de sedimentação foram preparadas lâminas, as quais foram avaliadas com o auxílio de microscopia óptica em aumento de 100 e 400 x. O total das amostras encontrava-se contaminada por pelo menos uma estrutura parasitária. As amostras provenientes do Município de Descanso apresentaram maior número de estruturas parasitárias. O método de cultivo hidropônico não apresentou diferenças significativas quanto aos índices de contaminação quando comparado ao método de cultivo geopônico. Esses resultados sugerem a necessidade de medidas profiláticas e educacionais quanto às diversas etapas da produção e preparo desses vegetais antes de seu consumo.

Referências

ANDRADE, E. C. de et al. Parasitoses intestinais: uma revisão sobre seus aspectos sociais, epidemiológicos, clínicos e terapêuticos. Revista Aps, Juiz de Fora, v. 13, n. 2, p. 231-240, abr./jun. 2010. Trimestral. Disponível em: http://aps.ufjf.emnuvens.com.br/aps/article/view/736/319. Acesso em: 10 set. 2014.

BARNABÉ, A. S. et al. Análisis comparativo de los métodos para la detección de parásitos en las hortalizas para el consumo humano. Revista Cubana de Medicina Tropical, São Paulo, v. 62, n. 1, p. 21-27, jan./abr. 2010. Quadrimestral. Disponível em: http://scielo.sld.cu/pdf/mtr/v62n1/mtr04110.pdf. Acesso em: 15 maio 2015.

BELINELO, V. J. et al. Enteroparasitas em hortaliças comercializadas na cidade de São Mateus, ES, Brasil. Arquivos de Ciências da Saúde da Unipar, Umuarama, v. 13, n. 1, p. 33-36, jan./abr. 2009. Trimestral. Disponível em:

http://revistas.unipar.br/saude/article/view/2794/2080. Acesso em: 30 abr. 2015.

BERMÚDEZ, J. E. V.; CIMERMAN, S. Balantidíase. In: FOCACCIA, R. (ed.). Tratado de infectologia. 4. ed. São Paulo: Atheneu, 2009. Cap. 90. p. 1621-1623.

BLUMENTAL, M.; GOLDBERG, A.; BRICKMAANN, J. Herbal medicine. 1. ed. Integrative Medicine Communications, p. 404-407, 2000.

ERAKY, M. A. et al. Parasitic Contamination of Commonly Consumed Fresh Leafy Vegetables in Benha, Egypt. Journal of Parasitology Research, Benha, p. 1-7, 16 jun. 2014. Disponível em: http://www.hindawi.com/journals/jpr/2014/613960/. Acesso em: 15 maio 2015.

FREI, F.; JUNCANSEN, C.; RIBEIRO-PAES, J. T. Levantamento epidemiológico das parasitoses intestinais: viés analítico decorrente do tratamento profilático. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 24, n. 12, p.2919-2925, 24 abr. 2008. Mensal. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v24n12/21.pdf. Acesso em: 10 set. 2014.

IBGE. Pesquisa nacional de saneamento 2008. Rio de Janeiro: [S. n.], 2010. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/condicaodevida/pnsb2008/PNSB_2008.pdf. Acesso em: 06 jun. 2015.

LAUDANNA, A. A.; ZEITUNE, J. M. R.; SILVA, C. F. B. Parasitoses Intestinais. In: LOPES, A. C. (ed.). Diagnóstico e Tratamento. 3. ed. Barueri: Manole, 2007. Cap. 21, p. 191. Disponível em: http://books.google.com.br/books?id=KI4lcyKdGsAC&pg=PA191&lpg=PA191&dq=quadro+clinica+das+parasitose. Acesso em: 15 ago. 2014.

MELO, E. M.; FERRAZ, F. N.; ALEIXO, D. L. Importância do estudo da prevalência de parasitos intestinais de crianças em idade escolar. Revista de Saúde e Biologia, Campo Mourão, v. 5, n. 1, p. 43-47, jan./jul. 2010.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. DATASUS. Epidemiológicas e morbidades: Valor total e Internações. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sih/cnv/nrsc.def. Acesso em: 10 set. 2014.

NEVES, D. P. Parasitologia Humana. 12. ed. São Paulo: Atheneu, 2011.

OLIVEIRA, C. A. F. de; GERMANO, P. M. L. Estudo da ocorrência de enteroparasitas em hortaliças comercializadas na região metropolitana de São Paulo, SP, Brasil, I - Pesquisa de helmintos. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 26, n. 4, p. 283-289, 4 mar. 1992. Bimestral. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v26n4/11.pdf. Acesso em: 23 fev. 2015.

SAKI, J.; ASADPOORI, R.; KHADEMVATAM, S. Prevalence of Intestinal Parasites in Vegetables Consumed in Ahvaz, South West of Iran. Journal Of Medical Sciences, v. 13, n. 6, p. 488-492, 15 ago. 2013. Disponível em: http://scialert.net/qredirect.php?doi=jms.2013.488.492&linkid=pdf. Acesso em: 16 maio 2015.

SANTARÉM, V. A.; GIUFFRIDA, R.; CHESINE, P. A. F. Contaminação de hortaliças por endoparasitas e Salmonella spp. em Presidente Prudente, São Paulo, Brasil. Colloquium Agrariae, v. 8, n. 1, p.18-25, jan./jun. 2012. Disponível em: http://revistas.unoeste.br/revistas/ojs/index.php/ca/article/viewFile/491/693. Acesso em: 15 maio 2015.

SARAIVA, N. et al. Incidência da contaminação parasitária em alfaces nos municípios DE Araraquara (SP) e São Carlos (SP). Revista Uniara, Araraquara, n. 16, p. 213-218, 2005. Disponível em: http://www.uniara.com.br/legado/revistauniara/pdf/16/rev16completa_23.pdf. Acesso em: 27 out. 2014.

SILVA, C. G. M. da; ANDRADE, S. A. C.; STAMFORD, T. L. M. Ocorrência de Cryptosporidium spp. e outros parasitas em hortaliças consumidas in natura, no Recife. Ciências e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 10, p.63-69, dez. 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v10s0/a09v10s0.pdf. Acesso em: 10 out. 2014.

SILVA, J. P. da et al. Estudo da contaminação por enteroparasitas em hortaliças comercializadas nos supermercados da cidade do Rio de Janeiro. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, Rio de Janeiro, v. 28, n. 3, p.237-241, jul./set. 1995. Bimestral. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsbmt/v28n3/12.pdf. Acesso em: 15 maio 2015.

SILVA, L. P.; SILVA, É. J. da; SILVA, R. M. G. da. Diagnóstico parasitológico de horticultures no monitoramento da contaminação parasitária em ambientes rurais. Bioscience Journal, Uberlândia, p. 648-652. jul./ago. 2010. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/viewFile/7176/5150. Acesso em: 4 out. 2014.

SILVA, M. G. da; GONTIJO, É. E. L. Avaliação parasitológica de alfaces (Lactuca satiiva) comercializadas em supermercados e feiras livres do município de Gurupi, Tocantins. Revista Científica do Itpac, Araguaína, v. 5, n. 4, 6 out. 2012. Semestral. Disponível em: http://www.itpac.br/arquivos/Revista/54/6.pdf. Acesso em: 16 maio 2015.

SOARES, B.; CANTOS, G. A. Detecção de estruturas parasitárias em hortaliças comercializadas na cidade de Florianópolis, SC, Brasil. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, São Paulo, v. 42, n. 3, p. 455-460, jul./set. 2006. Trimestral. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/rbcf/article/viewFile/44148/47769. Acesso em: 25 ago. 2014.

VIDAL, J. E.; CIMERMAN, S. Balantidíase. In: COURA, J. R. Dinâmica das Doenças Infecciosas e Parasitárias. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013. Cap. 78. p. 967-969.

VIEIRA, J. N. et al. Parasitos em hortaliças comercializadas no sul do Rio Grande do Sul, Brasil. Revista de Ciências Médicas e Biológicas, Salvador, v. 2, n. 1, p.45-49, jan./abr. 2013. Disponível em: http://www.portalseer.ufba.br/index.php/cmbio/article/view/6543/6602. Acesso em: 15 maio 2015.

VOLLKOPF, P. C. P.; LOPES, F. M. R.; NAVARRO, I. T. Ocorrência de enteroparasitos em amostras de alface (Lactuca sativa) comercializadas em Porto Murtinho - MS. Arquivos de Ciências Veterinárias e Zoologia da Unipar, Umuarama, v. 9, n. 1, p. 38-40, jan./jun. 2006. Disponível em: http://revistas.unipar.br/veterinaria/article/viewFile/37/19. Acesso em: 12 set. 2014.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Progress on Drinking Water and 2014 Sanitation. Switzerland: [s. n], 2014. Disponível em: http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/112727/1/9789241507240_eng.pdf?ua=1. Acesso em: 10 set. 2014.

Publicado
28-05-2019
Como Citar
Ceconi, D., Ottobelli Chielle, E., & Vidigal, T. (2019). Prevalência de enteroparasitoses em amostras de agrião comercializadas no extremo-oeste de Santa Catarina. Unoesc & Ciência - ACBS, 10(1), 85-92. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acbs/article/view/14340