AVALIAÇÃO IN VITRO DE DIFERENTES TÉCNICAS RESTAURADORAS EM TÉRMINOS CERVICAIS DENTINÁRIOS

  • Mauricio Costa Silveira de Avila
  • Eloisa Mantelli
  • Camila Rogelin

Resumo

Apesar do avanço da tecnologia adesiva, a obtenção de um perfeito vedamento marginal continua sendo um dos grandes objetivos na Odontologia restauradora, assim, a seleção da técnica e do material restaurador a ser empregado é fundamental para que a adaptação marginal seja eficaz, aumentando a longevidade da restauração. Dessa forma, o objetivo nesse estudo foi avaliar, in vitro, o grau de adaptação marginal em restaurações com término cervical em dentina, utilizando diferentes técnicas e materiais restauradores, por meio de imagens. Foram avaliados 50 molares hígidos, sendo os preparos realizados tanto na mesial quanto na distal (n=20). Cada grupo foi restaurado com material e técnica diferentes (G. 1: Vitremer®, G. 2: Surefill SDR Flow® sem condicionamento ácido prévio, G. 3: Surefill SDR Flow® com condicionamento ácido prévio, G. 4: Filtek Bulk Fill Flow® sem condicionamento ácido prévio e G. 5: Filtek Bulk Fill Flow® com condicionamento ácido prévio) para as imagens em MEV serem realizadas. A partir disso, analisou-se qual técnica restauradora apresentou melhor selamento marginal. Então, os resultados foram expressos em percentuais de margens contínuas para o comprimento total da margem cervical, e os melhores resultados se aplicaram para o G. 4 e os piores para o G. 1. Concluiu-se, então, que as resinas Bulk Fill apresentaram ótima adaptação marginal em dentina, bem como os grupos nos quais o Single Bond Universal® foi utilizado, com técnicas diferentes, apontaram resultados clínicos semelhantes, apresentando ótima aplicabilidade clínica. Notou-se, também, que o uso do Vitremer® deve ser extremamente cuidadoso em decorrência da sua alta contração.

Palavras-chave: Adaptação marginal dentária. Restauração dentária permanente. Infiltração dentária.

Publicado
07-03-2016
Como Citar
Costa Silveira de Avila, M., Mantelli, E., & Rogelin, C. (2016). AVALIAÇÃO IN VITRO DE DIFERENTES TÉCNICAS RESTAURADORAS EM TÉRMINOS CERVICAIS DENTINÁRIOS. Ação Odonto, 3(2), 34. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acaodonto/article/view/9547
Seção
Categoria TCC