ESCOVA DENTAL: INSTRUMENTO ADEQUADO, FORMA DE UTILIZAÇÃO, DESINFECÇÃO E ARMAZENAMENTO

  • Renata Oliveira de Bortoli Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Juliana Faria Costa Pereira
  • Lea Maria Franceschi Dallanora
  • Ricardo Villela Armenio
  • Soraia Maria Hack Comunello
  • Bruna Eliza De Dea
  • Grasieli de Oliveira Ramos
  • Maria Luiza Traiano

Resumo

A escovação é a forma de remoção mecânica da placa dental mais utilizada. Existe no mercado uma enorme variedade de escovas, contudo o tipo da escova, o formato e número de cerdas devem ser cuidadosamente escolhidos, pois influenciam na capacidade de higiene da escovação. O objetivo do trabalho foi realizar uma revisão de literatura, baseado em artigos publicados no Scielo e Pubmed para avaliar o tipo e características da escova mais adequada para cada caso, a forma de utilização de cada uma, os cuidados relativos ao armazenamento e a correta desinfecção. A escova ideal depende da idade do paciente, condições de saúde da gengiva, capacidade de manejo da escova entre outros fatores. Crianças, pacientes que fazem uso de próteses ou aparelhos ortodônticos e ainda pacientes com limitação de movimentos devem usar escovas apropriadas e com a indicação correta. A forma de utilização deve ser aquela que o paciente domine, desde que cumpra com necessidades de higiene fazendo a remoção mecânica completa do biofilme sem causar danos aos dentes e tecidos de suporte. A higienização pode ser feita enxaguando a escova em água corrente após o uso, removendo o excesso de água batendo a escova na pia e por fim borrifando enxaguante bucal nas cerdas. Devem ser guardadas preferencialmente na vertical, com tampas protetoras com respiro, distante de vasos sanitários e não estar em contato com outras escovas dentais para evitar contaminação cruzada. Assim conclui-se que tão importante quanto a escolha da escova dental é a sua forma de utilização, desinfecção e armazenamento, que se não forem realizados de forma correta podem ser um meio favorável a proliferação e disseminação de microorganismos e que a escova ideal deve apresentar cerdas macias e flexíveis, em grande número e com extremidade arredondada, cabeça pequena e cabo ergonômico para boa empunhadura da mão.

Publicado
09-03-2016
Como Citar
de Bortoli, R. O., Pereira, J. F. C., Dallanora, L. M. F., Armenio, R. V., Comunello, S. M. H., De Dea, B. E., Ramos, G. de O., & Traiano, M. L. (2016). ESCOVA DENTAL: INSTRUMENTO ADEQUADO, FORMA DE UTILIZAÇÃO, DESINFECÇÃO E ARMAZENAMENTO. Ação Odonto, 3(2), 73. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acaodonto/article/view/9374