UTILIZAÇÃO DE MATRIZ PALATINA NA ESTRATIFICAÇÃO DE RESTAURAÇÕES CLASSE IV

  • Jéferson Bruno Martins UNOESC
  • Guilherme Barella UNOESC
  • Felipe Bellaver UNOESC
  • Rodrigo Ehlers Ilkiu

Resumo

Dentre os procedimentos restauradores, as restaurações de classe IV podem ser consideradas procedimentos de média complexidade, principalmente em dentes que apresentam caracterizações intrínsecas acentuadas. Para tanto, desenvolveu-se a matriz palatina, com o objetivo de otimizar o processo de estratificação. Assim o presente trabalho busca apresentar as vantagens da utilização da matriz palatina, confeccionada por meio da moldagem direta dos dentes utilizando um silicone por condensação (Zetalabor – Zhermack), em procedimentos de estratificação de resina composta, assegurando o melhor resultado estético. A confecção dessa matriz envolve algumas etapas, como moldagem e produção do modelo de estudo com posterior enceramento. A confecção da matriz palatina propriamente dita é realizada com a utilização de silicone por adição ou condensação, sendo realizada sobre o modelo previamente encerado ou diretamente nos dentes. No caso clínico proposto, desenvolveu-se por moldagem direta dos dentes já que o comprimento e delimitação do contorno eram satisfatórios, tornando-se desnecessário o enceramento de diagnóstico.  No procedimento restaurador essa matriz é colocada em posição no dente para iniciar-se a estratificação. A primeira camada é considerada de grande importância, devido à adaptação com a face palatina, sendo acomodada na matriz em uma camada extremamente fina para permitir a manutenção do espaço necessário às camadas subsequentes. Uma camada de resina de dentina da mesma saturação do dente é inserida deixando-se um espaço para acomodar as próximas camadas. Na incisal, utiliza-se uma resina branca opaca, objetivando a confecção do halo opaco incisal. No espaço entre o halo opaco e a camada de dentina, um incremento de resina com efeito azulado é utilizada para dar o efeito de opalescência incisal. Subsequentemente, deposita-se a camada de esmalte cromático, suavizando-se a transição de cores do terço cervical para incisal. No terço incisal e nas proximais, uma resina de esmalte acromático é adaptada visualizando-se contatos interproximais mais naturais. 

Publicado
09-03-2016
Como Citar
Martins, J. B., Barella, G., Bellaver, F., & Ilkiu, R. E. (2016). UTILIZAÇÃO DE MATRIZ PALATINA NA ESTRATIFICAÇÃO DE RESTAURAÇÕES CLASSE IV. Ação Odonto, 3(2), 31. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acaodonto/article/view/9292
Seção
Resumo Categoria III