ATENDIMENTO ODONTOLOGICO AO PACIENTE COM PARALISIA CEREBRAL LEVE

  • Frank Pasinato
  • Bruna Barbieri Santin
  • Marta Garrastazu

Resumo

A paralisia cerebral afeta 1 a 2 em cada 1.000 crianças, mas é 10 vezes mais comum em recém-nascidos prematuros, sendo particularmente comum em lactentes muito pequenos. A paralisia cerebral é um grupo de distúrbios motores (tônus e postura), secundários à lesão do cérebro em desenvolvimento. O evento lesivo pode ocorrer no período pré, peri ou pós-natal. O dano causado pela paralisia cerebral pode ser desde muito leve até gravíssimo. Dependendo de quais áreas do cérebro foram afetadas pode ocorrer rigidez ou espasmo muscular, movimentos involuntários, falta de coordenação motora, problemas com a fala, com a visão, com a audição, percepção tátil, convulsão e déficit intelectual. As condições bucais mais comumente encontradas são: hiperplasia gengival medicamentosa, agravada com a presença de placa bacteriana, baba excessiva, falta de vedamento labial e dificuldade na deglutição salivar, cárie dentária, a higienização insatisfatória e a inabilidade da língua. A doença periodontal é intensificada na presença de agravantes, como a placa bacteriana, higiene bucal precária, vômito, ineficiência de força mastigatória, má-oclusão, respiração bucal, estresse, deficiências fagocitárias e nutricionais. Com isso, este trabalho tem o objetivo de obter conhecimento sobre os pacientes portadores de paralisia cerebral para implantar um tratamento integrado junto a uma equipe multidisciplinar e relatar por meio de revisão de literatura e relato de caso clinico quais são os fatores causadores da paralisia, as alterações encontradas nos pacientes, as formas de manejo e atendimento clinico. Compreende-se que esforços devem ser feitos para capacitar profissionais da área da saúde nos cuidados aos pacientes portadores de paralisia cerebral, informações relacionadas à importância da precocidade da procura pelo cirurgião-dentista e às maneiras de se diminuir as dificuldades referentes aos procedimentos de higienização bucal e reforçando a necessidade de uma atitude preventiva, especialmente no que diz respeito à cárie dentária.

Palavras-chave: Paralisia cerebral. Transtornos motores. Pessoas com deficiência.

Publicado
26-11-2013
Como Citar
Pasinato, F., Santin, B. B., & Garrastazu, M. (2013). ATENDIMENTO ODONTOLOGICO AO PACIENTE COM PARALISIA CEREBRAL LEVE. Ação Odonto, 1(1), 37. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acaodonto/article/view/3895
Seção
Resumo Categoria III