Instalação de implante em fase corretiva, é possível?

  • Jéssica Gabrieli Terra Peixoto
  • Mariana Nasilowski Unoesc - Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • José Luis Kaiper
  • Gabriela Aguiar Assmann
  • Vanessa Massocco
  • Soraia Almeida Watanabe Imanishi
  • Acir José Dirschnabel
  • Marcelo da Silva Muniz

Resumo

O tratamento com implante dentário visa à reabilitação estética e funcional de dentes perdidos, como no caso de dentes que não tiveram ganho clínico de inserção após tratamento ativo de doença periodontal. Dentre as formas para a realização do tratamento, destacam-se duas, a de carga imediata, na qual a adaptação da coroa é logo após o procedimento cirúrgico para colocação do pino, e a convencional, em que é preservado um período após o procedimento, sendo as duas com implantação imediatamente após a realização da exodontia e a colocação de enxerto para correção de defeitos ósseos. O objetivo com o trabalho é analisar os padrões de regeneração óssea em pacientes no estágio de manutenção do tratamento periodontal em ambas as técnicas de implantação imediata. A revisão de literatura foi realizada por meio de artigos selecionados na base de dados Pubmed entre 2010 e 2017, além de livros de Periodontia. Ambas as formas de tratamento mostraram estabilidade do implante, ganho ósseo observado radiograficamente, altas taxas de sucesso e resultados estéticos semelhantes pela avaliação da papila interdental. Os resultados sugerem que não há vantagem adicional para a abordagem convencional em relação à de carga imediata em pacientes periodontalmente comprometidos. A técnica convencional proporciona um desconforto superior ao paciente, uma vez que a prótese será adaptada ao implante somente três meses após a colocação cirúrgica do pino. Todavia, a colocação imediata do implante após a extração não é possível em todos os casos. Muitos fatores influenciam no resultado da realização de um implante. Deve-se considerar a estabilidade primária conseguida no momento da colocação cirúrgica, a estabilidade secundária obtida com o passar da cicatrização, além da qualidade e da quantidade de osso disponível para a ancoragem em um local específico. Ainda, a saúde física e mental do paciente não deve ser negligenciada, assim como fatores de risco e contraindicações.

Palavras-chave: Implante. Osso alveolar. Regeneração. Periodontia.
Publicado
11-09-2018
Como Citar
Peixoto, J. G. T., Nasilowski, M., Kaiper, J. L., Assmann, G. A., Massocco, V., Imanishi, S. A. W., Dirschnabel, A. J., & Muniz, M. da S. (2018). Instalação de implante em fase corretiva, é possível?. Ação Odonto. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acaodonto/article/view/17269
Seção
Resumo Categoria II