Gengivite gravídica: relato de caso clínico

  • Lucas José Gatelli Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC)
  • Vinicius Kuhnen Coelho Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC)
  • Roberto Cesar Amaral Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC)
  • Léa Maria Franceschi Dallanora Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC)
  • Soraia Comunello Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC)
  • Mariana Teixeira de Moraes Costa
  • Rodrigo Ceconello
  • Claudia Irene Wesoloski

Resumo

Existe certa dificuldade por parte do cirurgião-dentista em desmitificar crenças e preocupações que remetem ao fato de que a assistência odontológica em gestantes pode causar prejuízos ao feto. Assim, algumas pacientes não procuram atendimento odontológico por ficarem receosas ou pela falta de informações. Ao contrário desse contexto, uma gestante do sexo feminino, 21 anos de idade, procurou a Clínica Integrada do Curso de Odontologia da Unoesc Joaçaba para atendimento de rotina. Ao exame clínico e à evidenciação com corantes, a paciente apresentou grande quantidade de cálculo e placa dentária, resultando em uma condição encontrada considerada fraca. Ao realizarmos exame de sondagem, a paciente apresentou bolsa de no máximo 5 mm, em faces isoladas de seis elementos dentários, o que nos levou ao diagnóstico de periodontite crônica localizada leve. Tendo como base as necessidades da paciente, o tratamento foi planejado tendo as duas primeiras sessões para a realização de raspagem sub e supragengival com alisamento radicular e mais quatro a cinco sessões para controle da doença. Todas as sessões foram realizadas sem intervalos e variaram em um período de sete a 15 dias. Ao término de todas as sessões, foram passadas orientações sobre técnica correta de escovação, uso do fio dental e trabalhado o aspecto motivacional da paciente. Ao decorrer do tratamento a paciente apresentou significativa melhora em sua condição, com visível diminuição da inflamação nos tecidos periodontais. Foi possível concluir que o cirurgião-dentista deve estar atento às mudanças físicas, biológicas e hormonais que possam influenciar na condição de saúde da paciente gestante, fazendo as orientações adequadas, uma vez que o período gestacional tende a deixar a mulher mais disposta a receber informações.

Palavras-chave: Gengivite. Gestantes. Índice periodontal.

Publicado
11-09-2018
Como Citar
Gatelli, L. J., Coelho, V. K., Amaral, R. C., Dallanora, L. M. F., Comunello, S., Costa, M. T. de M., Ceconello, R., & Wesoloski, C. I. (2018). Gengivite gravídica: relato de caso clínico. Ação Odonto. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acaodonto/article/view/17190
Seção
Resumo Categoria III