Implante zigomático – relato de caso

  • Beatriz Barbosa
  • Marina Andrioni Bonetto
  • Laura Chiamulera
  • Tharzon Barbieri

Resumo

O objetivo com este trabalho é relatar um caso clínico de reabilitação total de maxila utilizando implantes zigomáticos. O implante zigomático foi desenvolvido por Brånemark na década de 1990 e, desde então, vem sendo utilizado com elevada taxa de sucesso. É um implante ancorado no osso zigomático que dispensa a necessidade de enxertos ósseos em maxilas atrésicas, sendo capaz de melhorar a qualidade de vida dos pacientes de maneira rápida. Paciente J.A., 52 anos, gênero feminino, apresentou-se à Clínica da Unoesc com perda óssea na região de maxila. A proposta apresentada foi a reabilitação com implantes zigomáticos submetidos à carga imediata. Após análise dos exames pré-cirúrgicos, a paciente foi submetida à cirurgia sob anestesia geral e anestesias infiltrativas, para obter hemostasia e conforto pós-operatório. Na sequência, efetuou-se uma incisão crestal em toda a extensão da maxila, além de descolamento mucoperiostal e de uma relaxante por vestibular na região posterior ao local do implante zigomático. A frezagem foi iniciada com broca esférica 2.9, em seguida, broca helicoidal 2.7, helicoidal piloto 2.7/3.2, helicoidal 3.3 e, por último, helicoidal piloto 3.3/ 3.7. Optou-se pela técnica de estela em razão da concavidade da maxila em relação ao osso zigomático. No momento de romper a cortical foi tomado o cuidado para não perfurar o soalho da órbita e não lesionar nenhuma estrutura importante. Após a frezagem foi utilizado um profundímetro e, em seguida, realizou-se a instalação dos implantes e colocação dos pilares protéticos. Nos implantes zigomáticos foram instalados os pilares transepiteliais. Antes da sutura foi feito enxerto com cimento ósseo na região paranasal a base de metilmetacrilato. Após sutura foram instalados os transferentes; com o guia cirúrgico em posição, os transferentes foram unidos e a moldagem de transferência foi realizada. O uso dos implantes zigomáticos proporciona a possibilidade de reabilitações totais imediatas, aumentando a satisfação do paciente com elevado índice de sucesso.

Palavras-chave: Implantação dentária zigomática. Reabsorção óssea. Reabilitação bucal.

Referências

Balshi TJ, Wolfinger GJ, Petropoulos VC. Quadruple zygomatic implant support for retreatment of resorbed iliac crest bone graft transplant. Implant Dent. 2003;12(1):4753.

Boyes-Varley JG, Howes DG, Lownie JF. The zygomaticus implant protocol in the treatment of the severely resorbed maxilla.SADJ. 2003 Apr;58(3):106-9, 113-4.

Farzad P, Andersson L, Gunnarsson S, Johansson B. Rehabilitation of severely resorbed maxillae with zygomatic implants: an evaluation of implant stability, tissue conditions, and patients' opinion before and after treatment. Int J Oral Maxillofac Implants. 2006 May-Jun;21(3):399-404.

Hanihara T, Ishida H, Dodo Y. Os zygomaticum bipartitum: frequency distribution in major human populations. J Anat. 1998 May;192 ( Pt 4):539-55.

Hirsch JM, Ohrnell LO, Henry PJ, Andreasson L, Brånemark PI, Chiapasco M, Gynther G, Finne K, Higuchi KW, Isaksson S, Kahnberg KE, Malevez C, Neukam FW, Sevetz E, Urgell JP, Widmark G, Bolind P. A clinical evaluation of the Zygoma fixture: one year of follow-up at 16 clinics. J Oral Maxillofac Surg. 2004 Sep;62(9 Suppl 2):22-9.

Publicado
14-03-2018
Como Citar
Barbosa, B., Bonetto, M. A., Chiamulera, L., & Barbieri, T. (2018). Implante zigomático – relato de caso. Ação Odonto, (2). Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/acaodonto/article/view/15894
Seção
Resumo Categoria III