ANALYSIS OF ASCORBIC ACID STABILITY TO 20% BY USING SILICONE EMULSIONS DIFFERENT VEHICLES AND PRESERVATIVES

  • Bruna Sgarbi Aguiar Moriggi Universidade Alto Vale do Rio do Peixe - UNIARP
  • Talita Regina Granemann Nunes Universidade Alto Vale do Rio do Peixe - UNIARP
  • Marithsa Maiara Marcheti Universidade Alto Vale do Rio do Peixe - UNIARP

Resumo

Vitamin C has physiological effects on the skin such as: inhibition of melanogenesis, promotion of collagen synthesis and antioxidant action. The development of cosmetics containing vitamin C in the acid form presents difficulties inherent in their physico-chemical characteristics that prevent the stability of the final product. The objective of this study was to analyze the stability of 20% ascorbic acid in emulsions developed with different preservatives and still using water, propylene glycol or glycerin as vehicle. 5 formulations containing 20% ascorbic acid were prepared in silicone emulsions. The samples were analyzed at 0, 15, 30 and 45 days for organoleptic characteristics and ascorbic acid content. Samples 1 and 5 had a greater reduction in the content, possibly due to the fact that in both the water was used as the total vehicle of the emulsion. Tests 2.3 and 4 had lower content reduction, probably due to the use of a binary system containing only 10% water and glycerine or propylene glycol as the emulsion vehicle. Regarding preservatives, metabisulphite was not found to be effective against the oxidation of vitamin C in the presence of large amounts of water, since the sample 5 used metabisulfite and water as the total vehicle of the formulation and was one of the samples that presented the most decrease in the content of active principle.

Referências

AQUINO, Julimary Suematsu et al. Estudo da Estabilidade de Géis Contendo Vitamina C, Manipulados em Farmácias da Cidade de Maringá-PR. Saúde e Pesquisa, v. 6, n. 3, 2013.

AZULAY, Mônica Manela et al. Vitamin C. Anais Brasileiros de Dermatologia, v. 78, n. 3, p. 265-272, 2003.

BAGATIN, Edileia. Mecanismos do envelhecimento cutâneo e o papel dos cosmecêuticos. RBM rev. bras. med, v. 66, n. supl. 3, p. 5-11, 2009.

BARATA, Eduardo Alberto Franco. Cosméticos: arte e ciência. 2002.

BATISTELA, Mônica Antunes; CHORILLI, Marlus; LEONARDI, Gislaine Ricci. Abordagens no estudo do envelhecimento cutâneo em diferentes etnias. Rev. Bras. Farm, v. 88, n. 2, p. 59-62, 2007.

BRASIL, Mapric, disponível em

BRASIL, Sociedade Brasileira de dermatologia, disponível em <http://www.sbd.org.br/ acesso em 19/09/2016.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Farmacopeia Brasileira. 5ª ed. 2010.

CAMPOS, Juliana Silva; FRASSON, Ana Paula Zanini. Avaliação da atividade antioxidante do extrato aquoso de Lafoensia pacari A. ST-HIL. em emulsão não-iônica. Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada, v. 32, n. 3, p. 363-368, 2012.

DALCIN, Karina Borges; SCHAFFAZICK, Scheila Rezende; GUTERRES, Silvia Stanisçuaski. Vitamina c e seus derivados em produtos dermatológicos: aplicações e estabilidade. Caderno de farmácia. Porto Alegre, RS. Vol. 19, n. 2 (jul./dez. 2003), p. 69-79, 2003.

DIAVÃO, Sheila Nara Castoldi; GABRIEL, Katiane Cella. ESTUDO DOS PARÂMETROS FÍSICO QUÍMICOS NA ESTABILIDADE DE EMULSÕES COSMÉTICAS. Infarma-Ciências Farmacêuticas, v. 21, n. 11/12, p. 15-20, 2013.

FARIA, Jose Carlos Marques de et al. Envelhecimento da pele e colágeno.Rev. Hosp. Clin. Fac. Med. Univ. Säo Paulo, v. 50, n. supl, p. 39-43, 1995.

FERREIRA, Guilherme Alves. Desenvolvimento de sistemas para veiculação de vitamina C, avaliação da estabilidade química, permeação e retenção cutânea. 2012.

GAUTO, Marcelo Antunes; ROSA, Gilber Ricardo; FERREIRA Cristina Lorenski. Apostila de experimentos modulo II: análise química. Curso técnico de química, Gravataí – RS, 2010

HIRATA, Lilian Lúcio; SATO, Mayumi Eliza Otsuka; SANTOS, Cid Aimbiré de Moraes. Radicais livres e o envelhecimento cutâneo. Acta Farm. Bonaerense, v. 23, n. 3, p. 418-24, 2004.

KRAMBECK, Karolline. Desenvolvimento de preparações cosméticas contendo vitamina C. 2011.

LARENTES, I. A. Avaliação preliminar da estabilidade de cremes fotoprotetores de farmácias magistrais. Maringá: Faculdade integrada da grande fortaleza–FGF, 2009.

MAIA, Adriana Moura. Desenvolvimento e avaliação da estabilidade de formulações cosméticas contendo ácido ascórbico. 2002. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

MENDEZ, A. S. L.; GARCIA, C. V.; SARAIVA, F. S. Estabilidade de creme não iônico com ácido ascórbico. Cosmetics e Toiletries, v. 22, n. 4, p. 62-67, jul./ago. 2010.

MONTEIRO, Érica. Envelhecimento facial: perda de volume e reposição com ácido hialurônico. Revista Brasileira de Medicina, v. 67, n. 8, p. 299-303, 2010.

PERSONALITÉ. Estática com ciência. Ano XV , n. 76, 2012.

PINNELL, Sheldon R. et al. Topical L‐ascorbic acid: percutaneous absorption studies. Dermatologic surgery, v. 27, n. 2, p. 137-142, 2001.Sociedade Brasileira de Dermatologia, 2016

SOARES, Sergio Eduardo. Ácidos fenólicos como antioxidantes. Rev. Nutr, v. 15, n. 1, p. 71-81, 2002.

SOUZA, Fabio Luiz Costa. Desenvolvimento de bases emulsionadas de silicone e água e avaliação comparativa com bases emulsionadas de óleo e água para uso externo de uso mais comum em manipulação. Dissertação de Mestrado, 2007

Publicado
20-12-2017
Como Citar
Sgarbi Aguiar Moriggi, B., Granemann Nunes, T., & Marcheti, M. (2017). ANALYSIS OF ASCORBIC ACID STABILITY TO 20% BY USING SILICONE EMULSIONS DIFFERENT VEHICLES AND PRESERVATIVES. Anais eletrônicos Do International Symposium on Science and Biotechnology. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/ISSB/article/view/16180